O que é um apartamento duplex? Confira 6 vantagens de morar em um

como comprar imóvel no Brasil quando se é estrangeiro

Um ambiente amplo, diferenciado e com experiência única: o apartamento duplex. Quem não busca morar em um local confortável, seguro, espaçoso e, além de tudo, funcional?

Normalmente, são vistos como empreendimentos de luxo e alto padrão. Mas eu posso afirmar que são ótimos investimentos ao longo prazo para você que busca viver no seu lar ideal com muita qualidade de vida! 

Fizemos esse artigo para que você entenda melhor o que é um apartamento duplex e também separamos alguns benefícios de morar em um para você. Quer saber mais? Confira!

Mas afinal, o que é um apartamento duplex?

Apartamento duplex
Apartamento duplex

Um apartamento duplex se assemelha a um sobrado: uma casa com dois andares. Porém, nesse caso, é um apartamento composto por dois andares integrados por uma escada ou elevador. Ou seja, é o imóvel ideal para você que curte privacidade mas, ainda sim, gosta de um local amplo para morar.

Além disso, o duplex também conta com características muito específicas como pé direito alto, arquitetura de primeira linha e, também,  maiores metragens. Tudo isso reafirma sua principal característica: um local amplo para quem procura mais cômodos e espaços separados com bastante privacidade. 

Normalmente, o duplex se encontra nos dois últimos andares do prédio ou até na cobertura e, por isso, podem sair com um valor agregado um pouco mais salgado. Mas não se engane! O preço cobrado por esses imóveis são totalmente justos e fiéis ao que eles entregam para você: muito conforto, privacidade e, o principal: espaço!

Ficou curioso para saber todas os benefícios que o apartamento duplex pode oferecer? Dá uma olhadinha no que a gente separou para você aqui embaixo.

6 vantagens de morar em um apartamento duplex

Como já mostramos, o apartamento duplex apresenta vários diferenciais que fazem com que a gente se apaixone por eles em cada detalhe. Por isso, vamos destrinchar para vocês todos os benefícios que eles podem oferecer dentro das possibilidades de um imóvel. 

1. Espaço mais amplo

Ter um apartamento com o dobro da metragem de um apartamento comum é, com certeza, um grande atrativo para quem procura um lugar mais espaçoso. Por ocupar dois andares, o duplex possibilita que a gente viaje na nossa imaginação na hora de escolher os ambientes do nosso lar.

Além disso, podemos apostar em diferentes decorações e disposições para os móveis, variando nos ambientes. Não podemos esquecer de mencionar que com isso você consegue mais conforto e privacidade, podendo separar áreas de convívio social e áreas mais privativas. Incrível, né?

2. Menos barulho e mais luz natural

Por estar localizado nos andares mais altos dos prédios, os apartamentos duplex são mais isolados das áreas sociais do prédio, das ruas e até mesmo de outros apartamentos. Dessa forma, você tem um local com menos burburinhos no seu dia a dia, que pode ser uma mão na roda para o seu bem estar e descanso.

Além disso, você também não precisa se preocupar com árvores e prédios tampando a luz do sol no seu apartamento. Justamente por estar no último andar, o duplex tem um aproveitamento incrível da luz natural, podendo instalar grandes janelas para auxiliar na iluminação e ventilação. Outra opção muito bem-vinda é a instalação de piscinas para aproveitar a temperatura e o sol.

3. Ótimo custo-benefício e economia

Apesar de ter um preço um pouco mais alto do que os apartamentos comuns, é inegável que o custo-benefício dele é incrível! Isso porque a taxa de condomínio paga por ele ser igual à de apartamentos comuns e ele também auxilia na economia de energia por conta da iluminação natural. Ou seja, temos conforto, segurança

Além disso, os apartamentos duplex normalmente se valorizam com o passar do tempo. Por receberem a categoria de smart home, ou seja, ambientes inteligentes que facilitam a sua rotina, eles acabam tendo muito mais valor agregado. E quanto mais conservado e bem cuidado o apartamento for, mais ele será valorizado.

4. Mais segurança e privacidade

Por estarem localizados em prédios, os duplex contam com uma segurança super qualificada, vigilância 24h e controle de quem acessa o condomínio pela portaria. Além disso, as normas do prédio também contribuem para um espaço mais silencioso, harmônico e organizado. Ou seja, os apartamentos duplex são perfeitos para quem procura muita segurança, inclusive em momentos em que os moradores não estão em casa, e também, tranquilidade.

5. Flexibilidade para alterações no imóvel

O apartamento duplex também se mostra muito flexível quanto às alterações na planta do seu imóvel e personalização dos ambientes. Você pode levantar ou derrubar paredes, criar novos ambientes, tudo de acordo com a sua preferência para deixar o seu cantinho com a sua cara. O melhor de tudo é que essa mudanças não prejudicam em nada a estrutura do prédio ou os seus vizinhos!

6. Vista privilegiada da cidade

Estar no último andar tem um ótimo ponto positivo: uma vista privilegiada da cidade. Poder ter uma vista panorâmica de onde você vive, acompanhar o pôr do sol, poder acompanhar a solta de fogos no réveillon com uma visão incrível, com certeza vai aumentar seu bem estar e acrescentar na sua qualidade de vida. 

DNA Paulistano: apartamentos duplex no centro de SP

Agora que você já sabe tudo sobre o que é o apartamento duplex e todas suas vantagens, precisamos te apresentar o novo empreendimento da SQuatro Incorporadora: o DNA Paulistano. Um empreendimento de alto padrão no bairro Santa Cecília no centro de SP, moderno e que exala criatividade e qualidade de vida. 

Ele é ideal para você que busca um lar com a sua personalidade, funcional e prático. Além de tudo, ainda é seguro e fica pertinho de tudo o que você precisa! Clique aqui na para saber mais sobre o DNA Paulistano

Perguntas Frequentes sobre Apartamento Duplex

O que é um apartamento duplex?

Um apartamento duplex é um tipo de apartamento que possui dois andares, sendo um no andar térreo e outro no andar superior. Os dois andares estão conectados por uma escada interna e, em geral, o primeiro andar do duplex é ocupado por áreas comuns, como a cozinha, a sala de estar e a sala de jantar, enquanto o segundo andar é reservado para os quartos e banheiros. Duplex são uma opção interessante para aqueles que precisam de mais espaço e privacidade, mas não querem ou não podem comprar uma casa. Eles também são uma opção atraente para famílias que desejam ter mais de um quarto e banheiro, mas preferem viver em um prédio ou condomínio com segurança e outros serviços. Em geral, um duplex pode ter de um a três quartos, dependendo do tamanho do imóvel e das necessidades dos moradores. Alguns duplex também podem ter um espaço externo, como um terraço ou varanda, o que pode ser uma ótima opção para aqueles que gostam de receber visitas ou simplesmente desfrutar do ar livre. 

Qual a diferença entre apartamento e duplex?

Um apartamento é um tipo de moradia que faz parte de um edifício ou prédio, geralmente com diversos andares. Ele é composto por um ou mais cômodos, como quarto, cozinha, banheiro e sala, e geralmente tem uma área comum para uso dos moradores, como áreas de lazer ou estacionamento. Um duplex, por outro lado, é um tipo de imóvel que possui dois andares, como se fosse uma casa geminada. O duplex pode ser composto por um ou mais quartos e banheiros em cada andar, além de cozinha, sala e áreas de lazer. Alguns duplex têm acesso direto ao jardim ou área externa. Em resumo, a principal diferença entre um apartamento e um duplex é que o primeiro é um apartamento geralmente de 1 andar, enquanto o segundo tem dois andares. 

Qual o valor de um duplex?

O valor de um apartamento duplex depende de diversos fatores, como a localização, o tamanho, a qualidade da construção e o número de quartos e banheiros. Em geral, um apartamento duplex tende a ser mais caro do que um apartamento comum, pois oferece mais espaço e privacidade. É difícil dar uma resposta exata sobre o valor de um apartamento duplex, pois ele pode variar bastante de acordo com as condições mencionadas acima. O melhor a fazer é pesquisar os preços de duplex na região onde você deseja comprar ou alugar um, para ter uma ideia mais precisa do valor que pode esperar pagar. 

Aqui na Squatro Incorporadora temos as melhores soluções de imóveis de alto padrão para você e sua Família, entre em contato conosco e saiba mais sobre as melhores ofertas. 

Qual a diferença entre duplex e cobertura?

Duplex e cobertura são dois tipos de imóveis que possuem características similares, mas também apresentam algumas diferenças importantes. Um duplex é um tipo de apartamento que possui dois andares, sendo um no andar térreo e outro no andar superior.

Os dois andares estão conectados por uma escada interna e podem compartilhar algumas áreas, como a cozinha e a sala de estar. No entanto, cada andar do duplex também possui suas próprias áreas privadas, como quartos e banheiros. Já uma cobertura é um tipo de imóvel que ocupa o último andar de um prédio ou edifício.

As coberturas costumam ter um amplo espaço externo, como um terraço ou varanda, e oferecem uma vista panorâmica da cidade. Algumas coberturas também possuem piscina e área de lazer.

Em resumo, a principal diferença entre duplex e cobertura é que um duplex é um tipo de apartamento que possui dois andares conectados por uma escada interna, enquanto uma cobertura é um tipo de imóvel que ocupa o último andar de um edifício e geralmente tem um amplo espaço externo. 

Quantos quartos têm um duplex?

Não há um número fixo de quartos em um apartamento duplex. 

O número de quartos pode variar de acordo com o tamanho do imóvel e as preferências dos proprietários ou inquilinos. 

Alguns duplex podem ter um quarto no primeiro andar e outro no segundo, enquanto outros podem ter mais de dois quartos, divididos entre os dois andares. 

Também é comum encontrar duplex com quartos e banheiros no primeiro andar e um grande espaço no segundo andar que pode ser usado como quarto, escritório ou área de lazer.

Em geral, um duplex pode ter de um a três quartos, dependendo do tamanho do imóvel e das necessidades dos moradores.

É importante observar que, em alguns casos, o primeiro andar de um duplex pode ser usado como área de estar e o segundo andar é reservado para quartos e banheiros, o que significa que o duplex pode ter apenas um quarto no andar térreo e mais quartos no andar superior. 

Qual a diferença de duplex e Sobrado?

Um apartamento duplex é um tipo de apartamento que possui dois andares, sendo um no andar térreo e outro no andar superior.

Os dois andares estão conectados por uma escada interna. Em geral, o primeiro andar do duplex é ocupado por áreas comuns, como a cozinha, a sala de estar e a sala de jantar, enquanto o segundo andar é reservado para os quartos e banheiros.

Já um apartamento sobrado é um tipo de imóvel que também possui dois andares, mas a diferença é que cada andar é considerado um apartamento independente.

Isso significa que cada andar do sobrado tem sua própria entrada, cozinha, banheiros e quartos, e os moradores de cada andar são responsáveis por sua própria área.

Em resumo, a principal diferença entre um apartamento duplex e um sobrado é que no duplex os dois andares são conectados e compartilham algumas áreas, enquanto no sobrado cada andar é considerado um apartamento independente.

 

Tudo o que você precisa saber sobre Financiamento Imobiliário

  1. Sistema Financeiro de Habitação: Financiamento regulamentado pelo governo federal que atua em imóveis de até R$1,5 milhões, essa condição só se aplica à pessoa física e  sofre ajuste de juros de 12% a.a. Nesse tipo de financiamento o banco libera o valor equivalente a 80% do imóvel desejado e as parcelas não podem ultrapassar 30% da renda mensal de quem está solicitando o crédito. Para mais informações, busque contato com o seu  gerente do banco.
  2. Sistema Financeiro Imobiliário: Essa linha de crédito pode ser solicitada tanto por pessoas físicas quanto jurídicas, e quem define as condições é o próprio agente financeiro. Essa modalidade não impõe teto de preço do bem (como no caso de um ISH), não tem compromisso com renda e não tem limite de juros. O crédito pode alcançar 80 ou 90% do valor do imóvel.
  3. Minha casa, minha vida: MCMV começou a ser aplicada em 2009 e tem como objetivo facilitar o direito à moradia para a população com renda de até R$8mil. Está modalidade possui diversas ramificações e mais informações podem ser encontrar no site do governo federal (Conheça o programa Minha Casa, Minha Vida — Ministério das Cidades (www.gov.br)
  4. Financiamento direto com a Construtora: Este tipo de financiamento é o menos burocracia, porém, por não existir regulamento muitas vezes as condições tornam essa condição menos atrativas. Ainda sim, essa é a opção praticada quando falamos de um imóveis na planta, nesse caso é preciso financiar com a construtora até a hora da entrega das chaves, que passa a ser decisão do cliente como segurá com o financiamento. 

 

Para conseguir um financiamento imobiliário é preciso ter 18 anos ou mais, comprovar renda suficiente para pagamento do imóvel e estar com o CPF válido. É importante checar se o CPF não está vinculado a órgãos de proteção de crédito, como  o Serasa, tudo é levado em conta quando alguém pede financiamento: conta de luz, de internet e de gás. Tudo é analisado para considerar a pessoa boa pagadora. 

  1. Taxa nominal: Esses são juros previamente acordados, sinalizados em todos os momentos da transação. Não haverá ajuste ao longo dos meses, mas pode haver alterações de ano para ano.

  2. Taxa real: Esta é a taxa de juros corrigida conforme a inflação do país.
  3. Taxa efetiva:  Real taxa de juros levando em conta a capitalização do bem em determinado período de tempo.

Segundo a tabela Price o valor máximo que pode ser financiado é de 80% a 90% do valor total do imovel. Porém essa porcentagem pode variar dependendo de algumas questões: da instituição financeira que irá realizar o financiamento, da sua qualidade como pagador.

Em caso de imóveis prontos depende de quanto o banco avalia o bem e quando você está pagando por ele. Em caso do banco avaliar o bem por mais caro do que você está comprando há uma possibilidade do banco financiar 100% do valor do imóvel e na situação oposta, você, como comprador, precisa integrar o valor que o banco não financiar. 

Dependendo da modalidade de financiamento que for aplicada, há um limite de no máximo 30% da renda que pode ser destinado a financiamento (SFH). Porém se o imóvel tiver um valor superior a R$1.5 milhões não há compromisso com porcentagem de renda (SFI).

Tudo depende de quantos anos você tem. Porém a idade máxima que você pode ter ao final do financiamento é de 80 anos e 6 meses.
Ou seja:

Se você tem 70 anos, você tem 10 anos e 6 meses para quitar o financiamento.
Se você tem 60 anos, você tem 20 anos e 6 meses para quitar o financiamento.

Acontece que se você quiser utilizar o limite máximo que são 420 meses, o financiamento só pode ser solicitado se o comprador tiver no máximo 45 anos e 6 meses.

É possível refinanciar um imóvel caso o mesmo tenha todas as documentações em ordem e que seja colocado como garantia do pagamento. Em um cenário de não cumprimento do pagamento o bem pode ser retirado da pessoa para restituição da dívida.

Caso você atrase o pagamento do meu financiamento existem alguns cenários possíveis, entre eles:

  1. Pagamento de multa com acréscimo de juros;
  2. Suas informações podem ser cadastradas em órgão de cobrança SERASA;
  3. A instituição financeira pode abrir um processo contra o devedor solicitando o pagamento da dívida.
  4. Caso a situação não seja resolvida, o banco pode colocar o imóvel em leilão.

Use o FGTS como facilitador para comprar seu Apê

O FGTS pode ser usado apenas em imóveis SFH:

  1. Podemos usar o valor para quitar um imovel financiado através da modalidade SFH, ou seja, quitar imovel que custam menos de R$1.5 milhões;
  2. Podemos usar o FGTS para pagar parte das parcelas do financiamento SFH;
  3. Usar o saldo do FGTS como entrada do financiamento do valor da compra ou construção do imóvel residencial.

Para usar o FGTS alguns critérios precisam ser levado em conta:

  1. Ter a somatório de três anos de contribuição;
  2. Não pode ter outro crédito ativo no Sistema Financeiro de Habitação;
  3. Não ter outro imovel construído ou em construção em área urbana;
  4. O imóvel tem que ser em área urbana;
  5. O bem precisa ter fim residencial.

Então sim, é possível usar o FGTS para liquidar ou amortizar o financiamento.

É possível usar o FGTS para pagar parte do valor das prestações. 

O que você precisa saber sobre o programa Minha Casa Minha Vida?

O programa Minha casa, Minha vida é uma iniciativa do governo federal, criado em 2009 e tem o objetivo de subsidiar e facilitar a compra de imóveis residenciais para famílias de baixa renda. Neste programa existem algumas categorias, classificadas por renda familiar e cada categoria tem um valor de incentivo. Saiba mais no site Conheça o programa Minha Casa, Minha Vida — Ministério das Cidades (www.gov.br)

O Programa atende famílias com renda mensal de até R$ 8.000,00 em áreas urbanas e renda anual de até R$ 96.000,00 em áreas rurais. 

Dentro do programa, existem diferentes faixas, separadas por renda, que interferem no valor do subsídio recebido pelo governo. Saiba mais através do site Conheça o programa Minha Casa, Minha Vida — Ministério das Cidades (www.gov.br)

Para participar do programa é preciso se cadastrar na prefeitura da sua cidade e aguardar o sorteio. Em seguida, alguém entrará em contato para que você possa escolher sua nova casa dentre os imóveis disponíveis. Saiba mais através do site Conheça o programa Minha Casa, Minha Vida — Ministério das Cidades (www.gov.br)

 
 

Que tal compartilhar

Facebook
LinkedIn
WhatsApp

Posts Recentes

Em destaque

Studios em SP

Studio, 1 ou 2 dorms / 22 a 107m²​